19 de maio de 2022
Olhar do Brito — O Brasil embarca de volta para o Brasil

Olhar do Brito — O Brasil embarca de volta para o Brasil

Isac Nóbrega/PR

A semana foi marcada pela ausência do país de nomes que dominam o poder.

O senhor que preside o Brasil embarcou para as arábias.

Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, também viajou para o estrangeiro. Foi a Glasgow ver de perto a Conferência do Clima, a COP26. Da Escócia, voou para Lisboa. 

E o deputado Arthur Lira, da Câmara, também tomou o destino de Portugal, tal como diversos magistrados da Suprema  Corte. 

Mas qual motivo levou a plêiade de autoridades a desembarcarem em terras lusitanas? Participar do Fórum Jurídico de Lisboa promovido pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal. Também foram convidados para a ocasião seus colegas Dias Toffoli e Alexandre Moraes, do STF, e outros magistrados de tribunais superiores.

Divulgação

No auditório lotado, discussões sobre o enfrentamento da crise sanitária, do estado de direito e da democracia. Até o doutor André Mendonça, ex-ministro da Justiça e que disputa uma vaga na Suprema Corte, estava lá. 

Me fez lembrar o padre jesuíta e filósofo francês, Teilhard de Chardin, falecido nos anos 1950. Escreveu em uma de suas obras um conceito bem adequado para vestir essa situação: “Deixe o mundo que ele vai por si só.”

A motociata ganha o mundo

Bolsonaro chegou ao mundo árabe no dia 13 acompanhado de vasta comitiva. Primeira-dama, filhos, ministros, assessores, amigos, parlamentares, apoiadores, fãs, diplomatas, empresários. Teve encontro em Dubai, Doha e Bahrein com príncipes, emires e sheiks.

Bolsonaro no Catar – Foto Isac Nóbrega/PR

Foi a show de aviões e feiras de produtos brasileiros, inaugurações, jantares. Em discurso, disse não serem verdade as notícias de devastação das florestas e que a Amazônia não pega fogo por uma razão muito simples: a vegetação é úmida. E mais, que a economia brasileira vai de vento em popa.  

Até falou com jornalistas. Comentou sua briga com o Valdemar Costa Neto, dono PL, partido com o qual estava praticamente certo seu “casamento” para disputar a reeleição ao Planalto ano que vem. Aqui, distante do mundo das arábias, Valdemar fez vazar nas redes sociais as trocas de mensagens entre ele e Bolsonaro, com palavrões extensivos aos filhos do presidente.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é bolsonaro-motociata-catar-8.jpg
Isac Nóbrega/PR

Antes de embarcar de volta a Brasília, foi conhecer os estádios da próxima Copa do Mundo. Jair Bolsonaro não esqueceu de um de seus programas favoritos, passear de motocicleta. Desta vez, pelas ruas de Manama, capital do Bahrein, por 40 minutos. 

Segundo ele, está lançando a motociata para o mundo. 

Bolsonaro na motociada pelas ruas do Catar – Foto Alan Santos/PR

Lula lá, também… 

Luís Inácio da Silva, o principal concorrente de Bolsonaro em 2022 também viajou. Para as europas.

Teve encontro com líderes progressistas internacionais. Desembarcou dia 11 na Alemanha para agenda com Olaf Scholz, o sucessor de Angela Merkel (até há pouco, a mulher mais poderosa do mundo), em Berlim.

Lula recebido por Macron em Paris – Foto Ricardo Stuckert/Divulgação PT

Em Bruxelas, discursou no Parlamento Europeu. Foi recebido com palmas. Depois, voou para a França. Recebido pela prefeita de Paris, Anne Hidalgo. No Palácio Eliseu, foi a vez de Lula estar com Emmanuel Macron. Desafeto de Jair Bolsonaro, o presidente francês o recebeu com cerimonial de pompa, com direito a desfile da guarda de honra. 

Enquanto isso no Brasil, a vida real, com Mourão elogiando Moro 

Manifestações contra a evidência da interferência de Jair Bolsonaro e do ministro Milton Ribeiro, da Educação, nas provas do ENEM, exame para milhões de novos alunos que pretendem acessar o ensino médio, mas “com a cara” do atual governo.

Em frente ao Planalto, um grupo protesta contra a Reforma Administrativa, com a qual o governo federal pretende, segundo servidores públicos, reduzir conquistas trabalhistas. 

Outro concorrente ao Planalto, Sérgio Moro, não viajou para o Exterior. Preferiu cuidar de sua nova agenda, a candidatura para a Presidência da República.

Orlando Brito

Depois da festa de filiação ao Podemos de Álvaro Dias, foi para Curitiba e São Paulo. Voltou a Brasília e em breve irá a Pernambuco e Rio de Janeiro. O general Hamilton Mourão, vice de Bolsonaro, fez referências bem positivas ao ex-juiz da Lava-Jato: “tem luz própria e é o principal concorrente da chamada terceira via”.     

Ciro Gomes, também candidato, mergulhou. Ninguém sabe, ninguém viu. Deve estar traçando estratégias para o futuro. De volta ao Brasil, Rodrigo Pacheco vai dividir suas atenções entre presidir o Senado e cuidar de sua corrida ao Planalto pelo PSD de Gilberto Kassab. 

Mas no PSDB, usando a linguagem popular, o bicho tá pegando. Os tucanos vão fazer nesse fim de semana prévias para escolher aquele que disputará o lugar de Bolsonaro. Nos debates e entrevistas com João Doria, Eduardo Leite e Arthur Virgílio, o clima ficou dentro dos limites do amistoso, mas todos expuseram diferenças que, futuramente, serão difíceis de resolver.

Orlando Brito

Bem, com o Brasil de volta ao Brasil, retornam também as discussões que não viajaram: PEC dos Precatórios; orçamento com emendas de relator; disputa entre os três poderes; as filas na Caixa para receber o Auxílio Brasil, ex Bolsa Família; nas ruas, o retrato da pobreza, nos supermercados, os preço altos. Nos postos de combustíveis, o litro de gasolina que beira os 8 reais.  

Bolsonaro afinal “casa ou não casa” com o PL de Valdemar? Quem será o vice de Lula? E quem, afinal, será o próximo presidente da República. 

E mais, qual time será campeão da Libertadores? Palmeiras ou Flamengo? Aliás, o Palmeiras não tem título mundial.  

Vida que segue.

https://prensa.li/jornalistasonline/olhar-do-brito-o-brasil-embarca-de-volta-para-o-brasil/

Escrito por
Orlando Brito