26 de maio de 2022
O sambista Geraldo Filme, o chefe do patrimônio

O sambista Geraldo Filme, o chefe do patrimônio

Filme acervo do MIS

Voltamos no tempo. Era 1982, meu primeiro emprego, como recepcionista no escritório que cobra e distribui direitos autorais para compositores, o famoso ECAD. Mas a coisa não funcionava lá muito bem. E como o dinheiro não chegava até os autores, a solução mais simples era empregar os artistas como fiscais de arrecadação. Foi nessa época que conheci grandes nomes da música como Zé Kéti, José Saccomani, Germano Mathias e tantos outros. Mas nenhum deles era tão carismático quanto Geraldo Filme. 

Homem alto, bonito, de voz forte e rouca e de uma delicadeza absoluta. Seu Gê, como eu o chamava, trabalhava no ECAD em horário comercial e lá era o chefe do patrimônio, o que significa dizer que era o responsável por relacionar e identificar os móveis do acervo em fichas de papel que originavam pequenas plaquinhas numeradas de metal, que ele mesmo colava nos arquivos de ferro e nas mesas do escritório. 

Nossa sintonia foi imediata. Eu adorava ouvir as histórias do sambista que definitivamente enterrou a conversa de que São Paulo era o túmulo do samba. Certo dia, uma das fichas do arquivo veio parar na minha mão e percebi que o mestre das palavras e das lindas letras das músicas não sabia escrever corretamente. Sem dizer nada, com a desculpa de ter derramado café ou algo parecido, peguei a ficha e passei a limpo. No dia seguinte, seu Gê amanheceu na minha mesa: “menina, dá uma olhada nestas fichinhas aqui que também estão meio borradas”. A partir daí, passei a reescrever e organizar o patrimônio junto com ele. 

Ao final de cada dia de expediente, seu Gê se transformava em Geraldo Filme, o compositor mais querido da Vai Vai, sinônimo da própria história do samba paulista e da resistência da comunidade negra que aos poucos foi sendo empurrada para bairros mais distantes. 

Ele sim, um verdadeiro patrimônio.

https://www.ouvirmusica.com.br/geraldo-filme/vou-sambar-noutro-lugar/

Escrito por
Sylvia Jardim