20 de maio de 2022
O dia em que João Carlos Martins tocou sanfona

O dia em que João Carlos Martins tocou sanfona

Acervo pessoal

O paulistano João Carlos Martins é uma glória brasileira.
É o único pianista no mundo a gravar a obra completa de Bach para piano, em 22 álbuns. Foi nos EUA e até hoje não relançada no Brasil, comercialmente. João levou o nome do Brasil para boa parte do mundo, até à terra de Mao TseTung.

João Carlos Martins foi vítima do acaso. Quando participava de uma pelada no Central Park, em Nova Iorque, no fim dos anos 60, uma pedrinha malvada penetrou em parte delicada do seu braço direito, na altura do cotovelo. Esse acidente o levou a muitas cirurgias.

João é um vencedor. Vem se superando, como exemplo de vida.

Conheço isso, pois fiquei cego… Mas não perdi a visão, se me entendem.

O drama de João emocionou muita gente.
João, o “Jão” como o chamava nosso amigo maestro Eleazar de Carvalho, chegou a se apresentar no Carnegie Hall, interpretando Concerto Para Mão Esquerda, de Ravel.

Mas o Jão não desistiu. Após perder os movimentos das mãos seguiu a carreira de artista como maestro fundador da Orquestra Filarmônica SESI-SP, que tem por finalidade descobrir jovens talentos. O que tem feito.
Com sua orquestra, o maestro tem se apresentado mundo afora.

A vida desse maestro já foi contada muitas e muitas vezes. Duas delas, em documentários internacionais. Em 2017, estreou o longa-metragem biográfico João, O Maestro. Em 2011, o maestro e pianista também foi homenageado pela Vai-Vai com o enredo A Música Venceu  que deu à escola da Bela Vista o título de campeã daquele ano.

Um dia, em sua casa em São Paulo, ele me contou que o piano chegou a sua vida ainda nos tempos de infância. Tinha uns 4 ou 5 anos. O pai, seu José, foi o grande incentivador. E mostrou as fotos e imagens em P&B e também imagens em movimento. Tocando. Isso renderia um belo DVD, como rendeu.

Há poucos dias João enviou um email ao editor do newsletter Jornalistas & Cia, Edu Ribeiro, nos parabenizando pelo texto Imprensa Negra, Resistente e Heroica.

Saudade.

Guardo boas memórias de João Carlos Martins.
Um dia o convidei para participar do programa São Paulo Capital Nordeste, que eu apresentava na velha rádio Capital AM 1040, ali na 9 de julho. E ele foi. Comigo já estavam o Trio Virgulino, formado por Enok, Roberto e Adelmo; e os cantores Pery Ribeiro e Cláudia. Foi uma festa. Momento inesquecível, até porque João nos surpreendeu ao dar de garra da sanfona de Enok e tocar uma cantiga de roda.
Aquela vez, 4 de março de 2004, foi a primeira e provavelmente a única vez que o maestro tocou sanfona. 

Link Programa

Para conferir o maestro João Carlos Martins tocando sanfona vá até 47’36

Escrito por
Assis Angelo