15 de outubro de 2021
Lugar de militar é no quartel.

Lugar de militar é no quartel.

“O meu Exército…”. 

A frase aí foi dita várias vezes pelo presidente Bolsonaro. E mais, disse outro dia: “As minhas Forças Armadas”. Definitivamente: as Forças Armadas são organismos do Estado e não de pessoas, seja quem for.A insistência do presidente em repetir esses “mantras” nos deixa, sociedade civil, de orelhas de pé, de prontidão.

É claro, claríssimo, que Bolsonaro quer pra si o poder por tempo indeterminado. Noutras palavras: Bolsonaro é por natureza um golpista. A nota oficial que as três Forças soltaram ontem 7 contra o presidente da CPI da Covid, Omar Aziz, é lamentável. Uma peça de ficção que reflete precisamente a insanidade absolutista do ex-capitão que ocupa a cadeira mais poderosa do País. A posição das Forças Armadas deveu-se, equivocadamente, à fala de Aziz. Ao dar voz de prisão ao ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, o presidente da CPI em nenhum momento denegriu o Exército, a Marinha e a Aeronáutica. Lamentou, apenas, o “lado podre” dessas forças.

As Forças Armadas são necessárias e importantíssimas à vida de um país.No governo Bolsonaro há mais de 6mil militares, da ativa e da reserva, ocupando postos civis.

Lugar de militar é no quartel. 

Escrito por
Assis Angelo