19 de maio de 2022
Anos dourados para quem? Para quem compra o café mais fresco?

Anos dourados para quem? Para quem compra o café mais fresco?

A década de 1950 marcou os chamados “Anos Dourados”. Década de revoluções tecnológicas com evidentes implicações sociais.  As propagandas invadiram o rádio e a recém-chegada televisão. 

A inovação não carregou consigo, de maneira eficiente, os costumes da época e você que procurava se aproximar fisicamente da Marilyn Monroe ou Brigitte Bardot deveria respeitar as ordens do grande chefe do lar que também atendia pelo nome de “marido”. E não havia um Charlton Heston em Os Dez Mandamentos que desse alguma solução diferente na tábua que recebeu. 

((https://cinemaclassico.com/curiosidades/20-fatos-sobre-charlton-heston/))

O machismo presente na comunicação das marcas, hoje encontra cada vez menos espaço, mas até pouco tempo víamos uma avalanche de peitos e bundas para vender simples cervejas.  O que chamou a minha atenção é o anúncio que aposta em:  facilitar ou salvar a vida daquela que carrega o avental, todo sujo de ovo, no processo de compra de um café. 

Porque coitada de você mocinha, mulher que não comprasse café fresco para agradar seu marido em 1952. Para escapar de umas palmadas no bumbum deveria escolher o Chase & Sanborn Coffee. Comprem, comprem sim o tal café e sobrevivam! 

Outros motivos que levam homens a bater em mulheres permanecem no século 21. Uma falha de caráter que segue firme e forte e, mesmo com leis e medidas protetivas que tentam amparar as mulheres brasileiras, a tendência é de alta. 

Após 70 anos podemos dizer que com ou sem glamour só vamos “Cantar alegremente na Chuva”, como um Gene Kelly apaixonado por Debbie Reynolds, quando houver liberdade para a mulher fazer de sua vida o que quiser em relação ao sexo, profissão e até a compra do café mais saboroso.  

E, se quiserem me servir eu adoro um ristretto, obrigada…

https://prensa.li/@bel.estrella/anos-dourados-para-quem/

Escrito por
Bel Estrella