20 de maio de 2022
Ali vai um sujeito contrariado…

Ali vai um sujeito contrariado…

Ulysses Guimarães (Senado Federal ) / Marília Mendonça (Assessoria da cantora).

Este novembro tem sido de muitas perdas. De Goiás, se foram três filhos ilustres, Marília Mendonça, Iris Rezende (ambos de Cristianópolis) e Cristiana Lôbo. Os dois últimos certamente tiveram muitos pontos de intersecção com o Dr. Ulysses Guimarães em vida, seja na trajetória política, ou em conversas no cafezinho da Câmara dos Deputados. Ou mesmo no Piantella, regadas a poire Willhiam’s. 

Mas o que tem a ver o Senhor Diretas com a Rainha da Sofrência? Qual o ponto de intersecção entre duas estrelas tão distantes no tempo e no cenário em que se notabilizaram? 

Obviamente, como as supernovas, seguirão irradiando seu brilho, pulsando por um tempo imprevisível. Evidentemente, se unem também na forma inesperada e trágica em que deixaram o palco dessa existência.

E há ainda o fato de que tanto o Dr. Ulysses quanto Marília Mendonça (cada um a seu modo) atuaram contra o obscurantismo, o despotismo, a tirania, a ditadura. Seja a que tortura os que são contrários a um regime, seja a que tortura mulheres fora dos padrões impostos pelo chauvinismo.  

Mas o que desenrolou o novelo das minhas memórias e me fez trançar os fios das histórias desses dois personagens não foi nada disso. Já explico.

1992

Aquele foi um ano que não deu trégua aos jornalistas, 1992. Eu era editora do Jornal Bandeirantes em São Paulo e tudo acontecia nos meus plantões de final de semana ou feriado.

O que não fazia muita diferença. Muitas vezes, mesmo fora da escala, acabava convocada ao trabalho. Jânio Quadros morreu em um domingo, 16 de fevereiro. Eu estava de plantão.

O governador do Acre, Edmundo Pinto, foi assassinado em um hotel da rua Frei Caneca na madrugada de um domingo, 17 de maio. Eu estava de plantão. A denúncia de Pedro Collor contra o irmão presidente explodiu na capa da Veja no domingo 24 de maio. Eu estava de plantão. E me lembro que, a partir daí, não houve mais sossego.  

Pois bem, 12 de outubro de 92 não caiu em um domingo, mas em uma segunda-feira. O feriado esticou o final de semana pra quem estava de folga.

Eu, porém, transitando entre a redação e as ilhas de edição da TV Bandeirantes.

Já era final de tarde de um dia monótono quando a notícia chegou. O helicóptero que decolara de Angra dos Reis às 15h20, levando para SP o Dr. Ulysses, o ex-senador Severo Gomes e as respectivas esposas, Dona Mora e Maria Henriqueta caíra no mar.  

Nessas horas não há tempo para lamentações. É preciso correr para divulgar a notícia e preparar a matéria que entraria na edição do Jornal Bandeirantes dentro em pouco.

Enquanto a produção apurava as informações, fui depressa revirar os arquivos de imagens da TV. Era preciso alguma sorte para localizar com rapidez qualquer coisa naquele imenso acervo analógico de fitas U-matic. As fichas nem sempre estavam organizadas.  

Cara a Cara

Mas eu sabia onde encontrar um rico material com depoimentos e imagens do Dr. Ulysses. Não havia muito tempo, ele estivera na Band para ser entrevistado pela Gabi (Marília Gabriela) no Cara a Cara. Com seu carisma, elegância e gentileza, deu uma passadinha na redação pra cumprimentar a galera do backstage.

Além disso, me lembrava de uma matéria especial que havia sido produzida pela sucursal de Brasília, sob o comando da Antonieta Goulart. Nela, nosso queridíssimo Flávio Guilherme acompanhara um dia rotineiro do Dr. Ulysses na capital federal. 

A fita que encontrei primeiro era do Cara a Cara, mas não o recente, e sim um gravado pela Gabi com o Dr. Ulysses em 1989, que eu nem conhecia. Busquei os outros arquivos e fui logo decupar o material. Resolvi começar pelo mais antigo, a entrevista do Senhor Diretas ao Cara a Cara em 89. Minha intenção era correr a fita rapidamente “just in case”, mas o conteúdo foi me enredando… 

Na primeira meia hora ele já fazia uma comovente declaração de amor:

“Se houver reencarnação, eu queria casar com a Mora logo, nascia casado”. “Meu Deus — pensei — os corpos ainda não foram encontrados (o dele nunca seria), mas partiram juntos e, quem sabe, voltem juntos!” E um pouco mais adiante na fita, uma declaração que me deixou atônita. 

“Eu gosto de ver a natureza. Gosto de ver o mar……. eu vejo como uma beleza. E quero dizer o seguinte: eu detesto velório, morte. Detesto assunto de morte. Quando morre alguém, só se não tem remédio eu vou ver o caixão. O sujeito lá (um mau gosto enorme!) estendido na sala principal da casa. Mas, quando virem o meu cortejo……se virem meu cortejo, uma pessoa que me conhece vai dizer o seguinte: ali vai um sujeito contrariado.” 

Pressentimento, premonição, precognição, intuição?

Há muitos nomes para isso. Fato é que, três anos antes do acidente que o levou, em um programa de TV, Dr. Ulysses associou mar e morte, assim como seria sua passagem. Talvez, de algum modo, os mais sensíveis consigam captar informações dos Registros Akáshicos. Vai saber… 

No último final de semana, acompanhando o noticiário sobre o acidente que levou Marília Mendonça, não pude deixar de me lembrar da afirmação do Dr. Ulysses: “ali vai um sujeito contrariado”.

No auge da juventude, no apogeu da fama, deixando um filho tão pequenininho ainda, a Rainha da Sofrência certamente partiu assim, contrariada. Foi brilhar lá no céu como “Estrelinha”, enquanto nosso Senhor Diretas encantou-se como uma estrela-do-mar.


Obs: se alguém tiver curiosidade em assistir ao Cara a Cara de 89, tá no Youtube. Mas super-recomendo o de 92 com pérolas como:  

“Quando o sujeito fica estadista, com o tempo ele não cabe mais nos lugares. Vira um piano de cauda. Você já viu um piano de cauda? Onde você vai botar um piano de cauda? Onde é que vai enfiar Ulysses Guimarães? É um piano de cauda!” 

“Presidente do partido é uma espécie de São Jorge, ele fica lá em cima a sacanagem tá embaixo”.

“O pior mentiroso é o que acredita na própria mentira”.  

“Não é o poder que corrompe o homem, é o homem que corrompe o poder”. 

https://prensa.li/@andiara.maria/ali-vai-um-sujeito-contrariado/

Escrito por
Andiara Maria