20 de maio de 2022
A audiência “INFIEL” – Parte 2

A audiência “INFIEL” – Parte 2

 ” Iê, Iê  (audiência) infiel, agora  vai fazer o meu papel

      Daqui um tempo você vai se acostumar .. E aí vai ver quem vai se enganar “

Estamos em 2021, saindo de uma pandemia, de uma quarentena de quase dois anos, em tempos de rede social onde a vida nunca mais será “normal”.

Disparam twiteers instagrams, faces, stories, directs grupos de zap zap, telegrams e centenas de imputs tagarelam entre si, em suas capilaridades intrínsecas, onde todo mundo é repórter por um dia.

O dedo no controle remoto bem que tenta resistir, mas é inútil. A fidelidade da audiência tinha acabado de ir pro saco.

Furando a frágil telona da TV nas redes tradicionais populares, bombeiros, socorristas e curiosos, com suas cameretas GO pro e smarthpones,   penetram no ambiente onde repousa o que restou do avião e mostram para um Brasil  de audiência , conectado on line , a crua cara da morte , seu perfume, sua textura e seus bastidores. 

E um novo Plantão é acionado.Tam TAM TAM TAM…

– Estavam todos em óbito Só Para imitar o jargão médico policial: Dois na frente, três atrás. (Poupem-me destes detalhes sórdidos, please.)

Fosse um tempo atrás, editores de telejornal mais sérios do Brasil inteiro   teriam tido mais cautela.Gastariam alguns segundos, checariam melhor todas as fontes, até porque assessoria de imprensa remota (não, não estavam no local) pode se enganar.

 E muito!

Dada a largada, começa o show espetaculoso de notícias:

 As “hard news” elevadas à enésima potência, rasgam a grade de todos os canais e catapultam verdades nada secretas em multitelinhas impossíveis de auditar.

 É uma viagem sem volta: até que venha a próxima reprise: e bora se contorcer, em longos reviews, revirando álbuns, fotos, desenhos, twitadas, vídeos, trechos de melhores momentos e o que tiver no arquivo, para preencher o vazio de comentários desencontrados. 

A Rede Globo, diferente do seu DNA cauteloso, foi um dos veículos que mais dedicou espaço para o adeus à Marília Mendonça. 

Comovidos pela grande perda que abalou o País, o público correu para a tela da TV e fez a emissora quebrar recordes expressivos no Ibope. 

Em suas casas, com medo de perder algum detalhe, ou de embarcar em outro plantão- fake todos empunhavam seus smahtphones, tablets e latp tops, “‘só para conferir!”.

Foi uma cobertura multiplataforma.  As redes invertendo o novo anormal, servindo de complemento inconteste ao que acontecia no ar.

-Voltamos a qualquer momento, siga com nossa programação normal.

….CONTINUA…

Escrito por
Carlos Kober